Browse Author: Aemom: O Algaraviador

O SEGREDO



style="display:block"
data-ad-client="ca-pub-9406167214881432"
data-ad-slot="6178138505"
data-ad-format="auto">

Um cliente foi a um hotel e perguntou ao proprietário:

– O quarto 33 está vazio?

O dono do hotel respondeu que sim, estava vazio e o cliente perguntou se poderia apenas reservar para uma noite. O dono respondeu que sim, mas antes de subir, o cliente fez um pedido ao proprietário:

– Uma faca preta e uma linha de seda branca de 33 cm de comprimento e uma laranja pesando 66 gramas.

O dono admirou-se pelos estranhos pedidos mas os providenciou. Por coincidência o quarto do dono do hotel ficava no andar debaixo do quarto 33 e depois da meia-noite ele escutou sons muito estranhos como se fossem animais, e vozes! Sentiram-se sons abafados de alguém batendo. De manhã e antes de o cliente sair o proprietário do hotel pediu para verificar o quarto mas encontrou tudo impecável. O fio de seda e a faca preta na mesa, a laranja inteira, e tudo no lugar. O cliente pagou a conta da noite a dobrar e também deu mais gorjeta do que os outros clientes.

Passou-se um ano e o dono do hotel esqueceu-se do assunto. A 1 de março do ano seguinte ficou surpreso com o mesmo homem! Quando o viu, ele lembrou-se do que tinha acontecido no ano anterior. O cliente voltou a solicitar o quarto 33, uma faca negra, um fio de seda de 33 cm e uma laranja de 66 gramas. O dono do hotel decidiu ficar acordado para ver se descobria tal mistério. Após a meia-noite, começaram os mesmos sons que tinha ouvido no ano anterior, mas desta vez mais alto. Pela manhã o cliente saiu e pagou a conta a dobrar e deu uma boa gorjeta. O proprietário do hotel ficou ainda mais intrigado! E a escolha do quarto 33? E a faca preta? E o peso da laranja? E o comprimento da linha de seda?

Ao longo do ano ele esperou, ansioso, pelo mês de março. E na manhã do dia 1 de março, pelo terceiro ano consecutivo, lá apareceu o cliente e pediu as mesmas coisas. O dono do hotel ficou acordado, disposto a descobrir o mistério, mas sem resultados… os mesmos sons foram ouvidos sempre com maior intensidade. Pela manhã antes do cliente sair, quando veio pagar a conta, o dono do hotel disse que queria saber o que se passava. O cliente respondeu:

– Se eu lhe disser o segredo promete não contar a ninguém?

O proprietário do hotel disse:

– Eu prometo, não falo a ninguém, não importa o que me disser!

E de fato, o dono do hotel não contou a ninguém… ninguém, até hoje, sabe o que se passou. Nem eu sei o segredo e estou morrendo de curiosidade!



style="display:block"
data-ad-client="ca-pub-9406167214881432"
data-ad-slot="6178138505"
data-ad-format="auto">