Browse Category: Cinema e TV

3

50 tons de cinza e as diversas opiniões

Então vamos lá.   Eu estava só observando as diversas opiniões a respeito do livro e do filme supracitado e venho aqui humildemente expor minha singela colocação a respeito de tudo que andei ouvindo ou lendo.

EU, gostei, dos dois, do livro (principalmente) e do filme…..Por que principalmente do livro???? Simplesmente porque o livro tem mais história, as coisas não acontecem tão rapidamente e possui MUITOS outros detalhes que são impossíveis de serem colocados no filme. O livro tem uma história de gênio? Não, não tem; apenas retrata a vida de dois personagens fictícios expondo as particularidades de suas vidas que pelo visto incomodou muita gente.

Vivemos num mundo onde há liberdade e libertinagem em excesso, ouço diversas moças e rapazes dizendo que saem e fazem sexo com pessoas que estão conhecendo pela primeira vez, ou que conheceram ontem ou, com amigos de amigos. Não existe nenhum tipo de envolvimento sentimental e intenções posteriores de relacionamento; as pessoas correm riscos de adquirirem doenças sexualmente transmissíveis desnecessariamente.

Vendo de fora, só enxergo relações intimas, porém sem intimidade, é quase um sorteio de loteria você encontrar o “par perfeito”, alguém que se encaixe em seus gostos e prazeres. E quando isso acontece? E quando você encontra alguém que te faz sentir tudo que você sempre sonhou? Esta pessoa muito provavelmente estará em outra no dia seguinte e você vai sofrer por achar que encontrou o príncipe no cavalo branco.

E o que essa “baboseira” tem a ver com o filme? Simples, nada do que aconteceu (no filme), foi sem consentimento, primeiro existiu o interesse, o sentimento, e depois a relação, super polêmica inclusive, rs.

Mas, o que mais gostei no livro foi o fato de que aprendi a valorizar toques que me passavam despercebido, pensou besteira né!!!! Estou falando de parar pra prestar atenção em tudo que acontece ao redor e não somente no playground…..rs…. como por exemplo, o jeito com que o parceiro pega no seu braço, põe a mão nas suas costas, na sua perna…. o livro é tão detalhado com relação ao ato em si, que parei pra ver que era aquilo mesmo, e, que era bom ampliar os horizontes.

As pessoas tem a incrível mania de olhar só o lado ruim de tudo, é agoniante não conseguirem tirar proveito, ou aprender alguma coisa útil de tudo que acontece, de tudo que se vê, ou lê, não só desse tipo de entretenimento, falo de qualquer outro.


O mais interessante, é que já estão sacrificando sem saber o que vai acontecer dali por diante…. é tanta coisa que não se espera, a gente invade a vida dos dois e vê o cuidado que ele tem com ela, o  sadomasoquismo é só uma distração, é só uma pedra no caminho, que serviu de desculpa para um dos personagem se fechar em problemas familiares, em traumas que muitos de nós poderíamos ter sofrido e que felizmente não foi nem metade do que aconteceu Sr. Grey. Mas, de tudo de ruim que poderia ter feito, ele apenas estava ali nada humildemente oferecendo prazer de uma forma peculiar.

É aí que entra minha indignação, a natureza humana do moralismo….. acho um monte de coisa errada e nem é por isso que eu julgo…. não concordo com a liberdade sexual, pode me chamar de machista, mas espera aí, quem disse que sou a favor da liberdade do homem também…..   Não acho que a relação sexual deve ser igual a beijo na boca…. não acho que se tenha que “fazer AMOR” com quem não se ama… não vejo sentido nisso…. por isso não chamo fazer sexo de fazer amor, chamo de trepar…. porque no fim é isso que fazemos…. só que existe diferença em trepar com amor e trepar sem amor, pessoas em um relacionamento estável, que se gostam, trepam com amor e prostitutas(os) trepam sem amor.

Tem gente que gosta de fantasia de tigre e tem gente de gosta de uma palmadas…. deve ter um monte de gente que nega isso até a morte, mas gossssssta simmmmm, e ainda vem falar de Anastacia e Cristian, pera aí né.