calese_01

O Boticário, deixa para lá cara! Mas também precisamos esclarecer algumas coisas.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on RedditFlattr the authorShare on Google+Email this to someone

Marketing grátis, é o que estão fazendo para essa empresa. Ou alguém acha que irão deixar de comprar produtos de uma empresa tão grande, porque simplesmente uma parte da sociedade está fazendo críticas a um comercial?

Por enquanto não estou entrando no mérito de quem está certo ou errado, ou se o comercial foi de mau gosto ou foi lindo. O que estou querendo falar é: Dane-se. Deixa eles se danarem ou se amarem, ou o que seja.

Desabafo a parte, vamos algaraviar sobre o assunto. Mas antes de continuar vamos entender o drama: “Ao mostrar dois casais gays, um comercial do grupo O Boticário, feito para um perfume lançado para o Dia dos Namorados, suscitou neste últimos dias uma mobilização de dois lados opostos: O de pessoas criticam e o de que apoiam a visibilidade a casais homossexuais na TV. Depois de exibido grupos conservadores— boa parte deles invocando argumentos religiosos — incentivaram um boicote à marca.

Depois disso, tudo virou homofobia, e para mim, também muita intolerância religiosa.

O pensamento inicial do post, era dar um conselho para esquecer esse assunto, pois a propaganda já foi feita, eles não vão mudar, nem parar, na verdade as coisas tendem a ir mais longe, mas agora eu gostaria refletir sobre alguns pontos que pude observar nas redes sociais.

Um grupo que não consegue ficar calado

Muitas vezes, o silencio pode se considerado como uma atitude de gênio, mas alguns tem que abrir o bico e falar algo, ou expressar suas ideias contrarias ao fluxo de uma sociedade que acha que está “evoluindo”. Nesse caso minhas críticas são mais aos evangélicos e a alguns católicos.

Eu sei que muitas vezes o silêncio dos bons preocupa muito mais que o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética, ou do que você ache errado. Mas em contra partida, muitas vezes, se a palavra que você vai falar não é mais bonita que o silêncio, então, não a diga.

As críticas podem ser feitas de forma mais amena e com demonstração de amor. Guerra mata e foi isso que foi proposto. Por que ao invés de incitar uma guerra, não pedir oração pelos que você considera pecadores? Pois o boicote sabidamente iria gerar argumentos e muitas críticas contra a quem é, por natureza, já criticado e agredido, na minha opinião, os cristãos.

Se os cristãos tem a consciência que todos somos pecadores, por que apontar o dedo e criticar? A final de contas não é à palavra de Deus que diz:

“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”

É claro que os seguidores da bíblia podem dizer que “os efeminados” estão condenados, e que estão preocupados com eles, mas esquecem, que eles mesmos podem ser enquadrados nos demais grupos, como por exemplo, “os maldizentes”.

O que estou querendo dizer é que podemos sim criticar, alertar e falar a verdade aos que precisam dela. Mas lembre-se que se eles não querem ouvir, não empurre essa verdade pela goela abaixo deles, pois você poderá ouvir coisas do tipo:

“Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão.” Mateus 7:5

As pessoas estão agressivas, e tentam combater discriminação e preconceito utilizando de discriminação e preconceito:

Pude ver com clareza o que há muito tempo eu já suspeitava, que é a verdadeira face de uma classe da sociedade que se diz perseguida e injustiçada. Mas na verdade é uma das mais intolerantes e odeiam ser criticados, eles mesmos, os homossexuais.

Agressivos, debochados e muito preconceituosos, seus adeptos e seus muitas vezes falsos defensores, tendem a agredir e debochar de todos que tem opinião contrária a deles. Pude observar que muitas vezes usam palavras ofensivas como chamar a todos os evangélicos de burros, atrasados e de mente pequena. Mesmo aqueles que tem uma cultura bem superior a deles.

“O direito de criticar dogmas e encaminhamentos é assegurado como liberdade de expressão, mas atitudes agressivas, ofensas e tratamento diferenciado a alguém em função de crença ou de não ter religião são crimes inafiançáveis e imprescritíveis” Juliana Steck

No Brasil, a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, alterada pela Lei nº 9.459, de 15 de maio de 1997,6 considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões.

…art. 20 (“Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”)…

Então homossexuais e seus defensores, não estou falando para todos é claro, mas apenas para os acéfalos que se acham intelectuais e na moda por defender uma minoria, não seja hipócrita, intolerância religiosa é tão crime como a homofobia, e combater uma discriminação se utilizando de mais discriminação é insanidade.

Conclusão

Tentei ser imparcial e não defender nenhum lado, mas sim criticar os dois. Isso porque estou cansado de ler indiretas dos dois lados e de assistir um grupo que não sabe ouvir e outro que não sabe falar. Tenho uma opinião formada sobre os assuntos da moda… Mas às vezes acho melhor guarda-las para mim, senão posso sofrer discriminação por expô-las, ou quem sabe ofender a uma pessoa a quem quero bem! Ainda mais nesse tempo de intolerância as ideias e ideais alheios.

Falar coisas como acho perigoso:

Antigamente o homossexualismo era proibido no Brasil. Depois passou a ser tolerado. Hoje é aceito como coisa normal e quem discorda é o errado. Eu vou-me embora antes que passe a ser obrigatório. – Arnaldo Jabor

Por isso gosto de falar como uma vez li em um site de pensamentos:

O silêncio é um dos argumentos mais difíceis de se rebater.



Comments

comments

Deixe uma resposta